top of page
  • Foto do escritorBatom Na Pista

Casal Wolff é investigado pela FIA por suposto conflito de interesses

A imprensa britânica compartilhou rumores de que o chefe de equipe da Mercedes teria recebido informações confidenciais de uma ex-funcionária da Federação e do time alemão.


Por: Anne Aguiar, Setorista.


Foto: Reprodução

O nome de Shaila-Ann Rao é citado como a principal fonte de Toto Wolff no polêmico caso do teto de gastos ultrapassado pela Red Bull, já que na época a funcionária fazia parte do quadro de membros da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) com o cargo de secretária-geral interina.


Com as suspeitas em torno do austríaco e da suíça, a controversa se deu principalmente quando todos os chefes de equipe receberam um documento explicando a respeito do limite estourado pela escuderia comandada por Christian Horner. Ao que tudo indica - e de acordo com a revista Business F1 -, Wolff recebeu o tal documento contendo informações para além das conhecidas por seus companheiros.


Em meio aos boatos, outra questão voltou a ser comentada. Na temporada passada, existiram especulações de que a Mercedes foi favorecida com informes sobre o novo regulamento, modificando o monoposto de forma suspeitosamente rápida tendo em vista a nova diretiva técnica.


Ademais, o nome de Susie Wolff também entrou no assunto. A chefe da F1 Academy e esposa do austríaco foi mencionada em forma de receio por estar diretamente ligada à Liberty Media, o que futuramente - ou não tão futuramente - poderia gerar conflitos de interesse com alguém tão próximo de duas frentes divergentes.


Uma fonte anônima que entende-se ser um ex-chefe de equipe comentou sobre o tal impasse:


"Imaginem se Geri Horner ou Raquel Stroll assumem cargos na Fórmula 2 ou têm um posto de alta responsabilidade na Liberty Media? Seria um conflito de interesses ridículo que não se poderia tolerar. O trabalho da Susie Wolff na F1 Academy é mais do mesmo. Isso é uma bomba que está prestes a explodir, inclusive maior do que foi em Singapura no ano passado.”

Em decorrência das acusações, o principal órgão do automobilismo mundial divulgou uma nota nesta terça-feira (05) informando que o casal Wolff passa a estar sob investigação.


O principal conflito se desenvolve na teoria de que o CEO da escuderia de Brackley teria acesso a conteúdos confidenciais da FOM (Fórmula One Management Group) da mesma forma que a comandante da Academy teria ao que acontece nas equipes da F1 com a possível forma de beneficiar o Grupo. O ponto chave para as desconfianças aconteceu há poucos dias, durante uma reunião com todos os chefes da Fórmula 1. Acredita-se que Toto teria citado coisas que só a FOM saberia.


Com o olhar de alarde após os acontecimentos e a mídia eufórica, o presidente da Federação, Mohammend Ben Sulayem, decidiu abrir o precedente no Departamento de Compliance da FIA para averiguar o ocorrido.


"A FIA está ciente da especulação da mídia centrada na alegação de informações de natureza confidencial sendo passadas a um diretor de equipe de F1 por um membro do pessoal da FOM. O Departamento de Compliance da FIA está investigando o assunto.”

A seguir, confira as declarações de Susie Wolff e Mercedes.


"Estou profundamente ofendida, mas infelizmente não surpresa com as alegações públicas que foram feitas esta noite. É desanimador que a minha integridade seja posta em causa desta forma, especialmente quando parece estar enraizada num comportamento intimidatório e misógino, e centrada no meu estado civil e não nas minhas capacidades. Ao longo da minha carreira no automobilismo, encontrei e superei inúmeros obstáculos e me recuso a permitir que essas alegações infundadas ofusquem a minha dedicação e paixão pela F1 Academy. Como mulher neste esporte, enfrentei muitos desafios, mas o meu compromisso em quebrar barreiras e abrir caminho para que as gerações futuras tenham sucesso permanece inabalável. Nos termos mais fortes possíveis, rejeito estas alegações."

"Notamos a declaração genérica da FIA esta noite, que responde a alegações infundadas de um único meio de comunicação, e o briefing não oficial que a vinculou ao chefe da equipe da Mercedes-AMG F1. A equipe não recebeu nenhuma comunicação do Departamento de Conformidade da FIA sobre este assunto e foi muito surpreendente tomar conhecimento da investigação através de um comunicado à mídia. Rejeitamos totalmente a alegação na declaração e na cobertura midiática associada, que colide indevidamente com a integridade e conformidade do nosso Chefe de Equipe. Naturalmente, solicitamos correspondência completa, rápida e transparente do Departamento de Conformidade da FIA sobre esta investigação e seu conteúdo."

Comments


bottom of page