top of page
  • Foto do escritorBatom Na Pista

"Isso não pode continuar assim", diz Steiner sobre as batidas de Mick

A temporada 2022 está sendo caótica para Mick Schumacher, já que o piloto não conseguiu pontuar até o momento - a diferença do seu companheiro de equipe Kevin Magnussen - e para piorar a situação ele tem se envolvido em acidentes que deram prejuízos milionários à Haas.


Foto: Reprodução/Planet F1

Se a situação de Mick já estava complicada por conta do seu rendimento atual na temporada, os acidentes chegaram para dificultar ainda mais as coisas. O incidente mais recente foi o acontecido em Mônaco, quando no meio da corrida o piloto terminou com o carro partido ao meio. Porém, no GP da Arábia Saudita o alemão também se viu no meio de um episódio parecido, sem contar a colisão com Sebastian Vettel em Miami.


Sendo assim, o chefe da equipe Gunther Steiner se pronunciou e comentou a situação revelando que os acidentes já ultrapassaram o orçamento do ano da Haas para reparos.


"Isso não pode continuar assim e ele sabe disso. Ele também acertou o muro em algum momento, isso não é saudável. Obviamente ele quer pontuar, mas se você bater no muro não tem como. Ele sabe disso, então é como botar pressão dizendo a ele para não bater. Eu não faço isso, nunca faço isso, porque acho que eles sabem que não devem bater. Então acho que há muitas coisas acontecendo, não é uma resposta simples. Temos que ver adiante, há coisas a serem resolvidas. Esse é um esporte muito competitivo e é fácil extrapolar um pouco o posicionamento de pista e causar grandes danos, especialmente em pistas como Monte Carlo, Jeddah, Baku, Montreal... Ele precisa se ajustar. Mas não é eu falando isso cinco vezes para ele que vai melhorar, na verdade acho que está piorando, porque acaba sendo uma reação oposta. Já ultrapassamos (o orçamento) em Jeddah, estamos à frente desta marca. Preferia estar à frente em termos de pontos conquistados."

Steiner também acrescentou que enquanto a preocupação das equipes maiores é o impacto dos acidentes no teto orçamentário, a Haas está preocupada em saber se terá dinheiro suficiente para comprar peças.


"O teto orçamentário não é problema, a nossa questão é o orçamento, porque estamos operando no limite. Obviamente, nunca é algo bom ter esse problema adicional, agora temos o desafio de acelerar a produção de peças, o que tem sido mais difícil. E a Dallara, eles estão trabalhando noite e dia para que tenhamos peças sobressalentes. O dinheiro é sempre um problema porque você precisa pagar, mas na verdade a questão maior é termos peças suficientes porque há um limite no quanto pode ser produzido. Não há cinco moldes, há um, e se você precisa seguir produzindo demanda tempo. É um desafio, mas a Dallara está fazendo um ótimo trabalho. Em termos de suspensão, a Ferrari nos ajudou porque também estamos com pouco, mas eles não conseguem seguir produzindo tanto assim."

Comments


bottom of page