top of page
  • Foto do escritorBatom Na Pista

Mercedes lança o tão esperado W14

A equipe alemã apresentou seu monoposto para a temporada 2023. Além disso, o time realizou seu shakedown em Silverstone para averiguar a funcionalidade dos sistemas.


Por: Anne Aguiar, Setorista.


Foto: Divulgação/Mercedes AMG F1

Nesta quarta-feira (15), a Mercedes mostrou ao mundo o W14, carro da temporada 2023. Muitos fãs estavam fervorosos para saber como o mesmo viria, já que existiam muitos burburinhos apontando que a equipe alemã poderia continuar com a pintura prateada. No entanto, o time voltará para as pistas com o W14 sendo diferente de seu antecessor. Na cor preta, as expectativas agora são direcionadas ao desempenho nas 23 etapas que serão disputadas ao longo do ano.


Foto: Reprodução/F1

No lançamento feito em Brackley, membros da escuderia expressaram suas expectativas acerca do carro. Ademais, uma fala de Lewis Hamilton sobre estar planejando ficar por mais algum tempo na categoria já repercutiu na web.


"Ver a evolução do carro e as mudanças que foram feitas é fascinante. Redesenhamos, otimizamos e inovamos tantas partes do carro e isso é impressionante. E eu adoro a nova pintura! Diz, 'Nós viemos para negócios'", disse o heptacampeão.

George Russell, o qual irá disputar sua segunda temporada com a Mercedes, também ressaltou o quão impressionado ficou com a evolução do monoposto.


"Fiquei incrivelmente impressionado com a forma como a equipe desenvolveu o carro ao longo da última temporada. Ganhamos impulso ao longo de 2022 e estamos ansiosos para ver como isso progrediu durante o inverno."

O chefe da equipe, Toto Wolff, relembrou o que a equipe enfrentou no último ano, mas deixou claro que estão prontos para brigar pela primeira posição do grid.


“Correr na frente requer resiliência, trabalho em equipe e determinação. Enfrentamos todos os desafios, colocamos a equipe em primeiro lugar e não deixaremos pedra sobre pedra na busca por cada milissegundo. Este ano, vamos com tudo para voltar à frente.”

Já o diretor técnico do time, Mike Elliott, falou a respeito das partes mais técnicas e menos visíveis.


“Mudamos a suspensão dianteira e traseira e mudamos significativamente o chassi. Trabalhamos significativamente para garantir que não tenhamos os mesmos problemas do ano passado novamente.”

Além disso, Elliott também citou a semelhança do atual monoposto com o W13.


“Com esta geração de carros, o desempenho está todo nos detalhes. Quando você olha para o W14, vê o DNA do W13, mas também muita evolução e melhoria nos detalhes.”

O novo carro é praticamente todo em fibra de carbono, tendo somente pintura em algumas partes - como o bico. Isso é puramente estratégico, visto que uma grande quantidade de tinta pode elevar o peso do veículo.


Foto: Reprodução/F1 Data Analysis

Agora falando sobre o momento em que o carro foi para a pista, em função de um erro na montagem do chassi, o W14 de Russell teve alguns problemas no motor. Entretanto, essas questões não demonstram ser um grande problema, com a unidade já sido enviada para reparo.


Na próxima quinta-feira (16), a escuderia realizará o shakedown completo com sua dupla de pilotos - que poderá percorrer 100km. Portanto, os olhares agora se voltam para os testes da pré-temporada, quando o monoposto irá para a pista de forma efetiva e poderá mostrar algum ritmo antes da primeira etapa do campeonato - que acontecerá no Bahrein no início de março.



bottom of page