top of page
  • Foto do escritorBatom Na Pista

Recusa da FIA impediu Colton Herta de conseguir pontos para a superlicença

O piloto queria competir na Fórmula 3, mas a entidade não concedeu a autorização.


Por: Mel Ribeiro, Setorista.


Foto: Reprodução/GP em casa

Desde que foi anunciada a saída de Pierre Gasly da AlphaTauri, o nome do estadunidense foi extremamente citado tanto dentro quanto fora do paddock. Atualmente na IndyCar, Colton era o favorito para assumir a vaga na equipe italiana.


Contudo, não tendo os pontos necessários na superlicença para participar da categoria, Herta permaneceu na Indy e Nyck de Vries foi o escolhido para pilotar na temporada 2023. Porém, em entrevista ao podcast Racer to Racer, Scott Goodyear - diretor de corrida dos campeonatos americanos de F3 e F4 - revelou que o piloto estudava a possibilidade de participar da Fórmula 3, mas a FIA não permitiu.


“Em nossos campeonatos, os pilotos podem ganhar pontos de superlicença e, se alguém vencer a F3, F4 ou Fórmula Regional, haverá mais pontos do que se alguém vencer a Indy Lights. Isso é interessante porque o pai de Colton me ligou em julho e queria saber se seria possível seu filho participar da F3, já que seriam necessários mais pontos de superlicença. De nossa parte, aprovamos a largada dele, mas a FIA não deu luz verde. Foi difícil porque tanto as equipes quanto os pilotos estavam em êxtase por ter um piloto do calibre de Colton se juntando à categoria. Isso daria a eles uma chance real de competir contra alguém que é considerado um dos melhores pilotos dos Estados Unidos."

Comments


bottom of page